Press "Enter" to skip to content

Os “Idiotas úteis”

Paula Zanelli

Last updated on 2 de Junho, 2019

Estudantes que não aprendem, não leem e deturpam palavras que são diariamente jogadas nas salas de aula para transformar jovens em militantes a serviço de sindicatos e partidos políticos.

Chega de doutrinação marxista. Basta de Paulo Freire.

Uma célebre frase do escritor francês Victor Hugo, exemplifica bem o quanto é importante formar bons cidadãos:

” Resistimos a invasão dos exércitos, mas não resistimos a invasão das ideias “.

Ideias são poderosas, ignoram fronteiras e atravessam os limites do tempo. As ideias crescem e se difundem através de atos e ações que podem interferir em decisões sobre as quais será difícil controlar.

Mas o que houve com o ensino ? Onde começou a degradação da linguagem e valores ?

Alunos que sequer sabem conjugar verbos e que dirá a tabuada.

A resposta vem de Gramsci, Piaget e Freire. E não para por aí. Essa anomalia se estende aos jornais e TV (dói escrever isso).

O que vemos hoje no ensino começou gradativamente muito bem pensado e planejado durante décadas pela esquerda, não só no Brasil, mas pelo mundo. E o pior, colocado em prática por governos e políticos da esquerda. Venho lembrar que o patrono da Educação no Brasil foi Paulo Freire, um pernambucano endeusado por esquerdistas que tinha como base de ensino as obras de Gramsci. Não é por acaso que hoje o Brasil ocupa as péssimas colocações em todos os rankings de ensino internacionais divulgados anualmente.

Salas de aula onde se deveria aprender matérias como, matemática, português, ciências, moral e cívica, foram trocadas por ” empoderamento”, opressão, identidade de gênero, desconstrução da família, transfobia, autonomia do corpo, sim! Alunos vão sem roupas para salas de aula em nome da “liberdade”.

Aos pais que tem filhos na escola: acompanhe tudo o que é ensinado e caso perceba algum indício que seu filho mudou de comportamento, vá à escola, e mostre que crianças têm que aprender o básico e não ser doutrinada com ideias tanto de esquerda ou de direita. Ameaça, divulga !

Mas como diz o ditado ” não há mal que perdure para sempre” está mais que na hora de reagir e resgatar nossos valores. Vem a pergunta: Como ?

Aos universitários que se cansaram, não se cale não abaixe a cabeça, questione e se posicione.

Só assim no futuro, teremos formadores de opiniões e excelentes profissionais, e não mais “idiotas úteis”