Press "Enter" to skip to content

O “cuspidor” – Zé de Abreu desdenha da dor de uma mãe.

Paula Zanelli

Quem se junta aos maus não degenera. O então conhecido ator global José de Abreu, famoso por seus destemperos atingiu o ápice do mau caratismo ao atacar a escritora Gloria Perez através do assassino de sua filha.

José de Abreu ironizou a situação política do país dizendo que Guilherme de Pádua e a autora de novelas da Globo estariam apoiando o mesmo espectro político. Para quem não se lembra, Pádua é ator e assassino confesso de Daniela Perez, filha de Gloria Perez, nos anos 1990.
“O Brasil está tão doido que vemos Guilherme de Pádua e Gloria Perez apoiando o mesmo espectro político! Que tempos!”, escreveu ele na rede social. A reação de Gloria Perez veio logo em seguida. “Você é muito canalha! Não vou revidar lembrando sua tragédia pessoal. É block e mais nada!”

O motivo que desencadeou a infeliz citação do ator foi porque Gloria Perez postou mensagem citando o retorno do perfil “Pavão Misterioso”. A página seria uma resposta da base aliada do governo Bolsonaro contra o site The Intercept Brasil, que tem divulgado uma série de mensagens atribuídas ao ministro Sergio Moro e a procuradores da Lava Jato.

À tarde, a escritora voltou à rede social e afirmou que já havia bloqueado doze seguidores. “Até agora bloqueei 12, por me dirigirem comentários tão canalhas quanto aquele sobre o filhinho do Diogo Mainardi, revelado pelo Pavão”.

Eduardo Bolsonaro também se manifestou: “Até onde vai a canalhice do ser humano? Mas confesso que também me embrulha o estômago ver que ainda dão grande espaço a ele, como se nada tivesse acontecido….

José de Abreu já se envolver em outros episódios lamentáveis. O ator global cuspiu nos rostos de uma mulher e de um advogado que jantavam juntos em um restaurante japonês em São Paulo após ser reconhecido e confrontado por ambos em razão de sua militância política em favor do PT. A escola Jean Wyllys de cusparada e fuga já formou um novo aluno. Relembre o fato: https://youtu.be/FupEPNW3Srg

Defensor ferrenho do condenado Lula da Silva, foi condenado e obrigado a devolver R$ 300.000,00 captados através da LEI ROUANET. Publicado no Diário Oficial, uma portaria do Ministério da Cultura solicitou a devolução de recursos da lei Rouanet. De acordo com o texto, o ator José de Abreu terá de devolver 300 000 reais captados para a turnê do espetáculo Fala, Zé pelo Sudeste.

Jose de Abreu em 06/07/2019, foi condenado a indenizar o Hospital Albert Einstein, o valor de R$ 20 mil por danos morais. A condenação aconteceu após o artista escrever no Twitter que grupo da unidade de saúde teria apoiado o atentado contra o então candidato e hoje presidente Jair Bolsonaro.

“Teremos um governo repressor, cuja eleição foi decidida numa facada elaborada pelo Mossad, com apoio do Hospital Albert Einstein, comprovada pela vinda do PM israelense, o fascista matador e corruptor Bibi [Netanyahu, primeiro-ministro de Israel]”, disparou o ator. “A união entre a igreja evangélica e o governo israelense vai dar m*”, finalizou. O tuíte foi postado em 1º de janeiro de 2019, no mesmo dia em que Bolsonaro tomava posse como Presidente da República. O texto, contudo, foi excluído momentos depois de publicado.

Ao tomar conhecimento do conteúdo da mensagem, o hospital ressaltou, em nota, que a acusação era “grave, insultuosa e infundada”.

Zéh de Abreu, o mau-caráter,  egoísta e maléfico que não tem misericórdia nem compaixão, mas busca nos outros justificativas para as suas próprias barbaridades.

Comments are closed.