Press "Enter" to skip to content

A linha que separa a liberdade de expressão da censura nas redes sociais

Alex Diferolli

Não é de hoje que plataformas sociais são denunciadas de censura seletivista, onde, ignoram o que dizem ser liberdade de expressão do politicamente correto , e consideram como discurso de ódio e preconceito a opinião de perfis contrários à cartilha progressista.

Eu fui vítima deste tipo de censura e estou processando o Twitter por isso.

O caso mais recente de censura se deu ao perfil “𝖇𝖚𝖌𝖆𝖉𝖔𝖘”, que teve sua conta suspensa por ter feito uma thread intitulada “GORDOFOBIA É LEGÍTIMA DEFESA“.

Segue o texto de Loen:

“Graças a cambada de idiota lobotomizado da geração agora surge novos nichos de influencer um trending pra 2020 vai ser a GORDA PROFISSIONAL

exemplo clássico: @alexandrismos com todo o papo de ACEITE seu corpo

mas o que a porpetinha tá vendendo?
Toda justiça social da internet vem dos confins do tumblr e das mentes mais manchadas de tintura rosa dos EUA.

O que você pensa hoje em dia quando você pensa nos states? Armas? Liberdade? Não cara, você pensa em obesidade.

40% dos americanos são obesos.
Por que? Porra porque os grandes conglomerados alimentícios (são 10 que controlam TODAS as marcas, incluindo as mais vagabundas) querem que você consuma compulsivamente até morrer. Eles querem a sua grana.

Mas como fazer você perder totalmente o senso de autocrítica?
Aí entra, a gorda profissional.

A alexandrismos quando ficou completamente pistola com “eu amo a magreza” mostrou algo muito importante.

A liberdade individual da mulher não é o importante ali, essa gorda safada ela quer é SER BLOGUERINHA SEM TER O ESFORÇO NECESSÁRIO

Claramente exibicionista, viciada num like e gosta muito de um rodízio, essa mina força a narrativa do SINTA BEM COM SEU CORPO pra você pessoa normal que tem uma pancinha de excel, pois trabalha horas e horas, PERCA AQUELE SENSO DE COMPETIÇÃO E AUTOCRITICA QUANDO VAI PRA PRAIA

“Tipo pô exagerei, segunda eu corto o paozinho.” É UMA DAS COISAS MAIS LINDAS DE SE PENSAR POIS VOCÊ ESTÁ SE AUTOANALISANDO E TENTANDO CORRIGIR SEUS ERROS PARA EVOLUIR E SUBIR MAIS UM DEGRAU NA SUA EXISTÊNCIA

mas obviamente a mondelez não quer isso
Aí entra as bichas gordas reclamando que AS CADEIRAS NÃO ME SERVEM TENHAM MAIS EMPATIA

até mesmo a vergonha de OLHA LÁ O BOLÃO ENTALADO NA CATRACA que todo mundo TEM QUE SENTIR PORQUE É CONSEQUÊNCIA DOS SEUS ATOS eles querem IMPUTAR CULPA NA PESSOA QUE PENSA NORMAL

A obesidade no Brasil já chega a 20%, o que fazer? O lobby alimentício não vai deixar um comercial no naipe “corta ai uma fruta pro teu boneco” colar.

Eles fingem que permitem isso enquanto comprar um pacote de bolacha é mais barato que comer saudável.
Então toda a psicopatia desse bando de CORNO achando que tá lutando contra o sistema, “isso vamos pesar 200 kg e sai vestindo calcinha na timeline uuuu chora patriarcado, eu sou contra o sistema”

É A REBELDIA PERMITIDA E ENDOSSADA PELOS MULTIBILIONÁRIOS QUE DOMINAM TUDO.

Gorda profissional, influencer, quanto mais vocês acharem que estão mudando o mundo, melhorando a vida pro LGBT, gordo, desmembrado, bugados, MAIS VOCÊS TÃO DANÇANDO A MÚSICA E MAIS VOCÊS ESTÃO VENDENDO A REBELDIA POR UM PREÇO MUITO MAS MUITO BARATO”

Twitter oficializou o shadowban: (por Didi Rankovic, via Reclain The net)

A proibição de sombra é uma prática controversa de proibir o conteúdo de um usuário de tal maneira que seja difícil ou impossível para outras pessoas em uma plataforma de mídia social descobri-lo – enquanto o usuário não sabe que isso está acontecendo.

E agora, essa prática chegou oficialmente ao Twitter. A partir de janeiro, a proibição de sombra que sempre se suspeita existir no Twitter está se tornando uma opção legítima para a empresa, contida em seus termos de serviço atualizados.

As redes sociais, é claro, podem se livrar de conteúdos ou usuários indesejados banindo-os completamente – se violarem as regras da plataforma. Então, por que fazer a rota de “proibição de sombra”? Essa maneira de suprimir e bloquear o conteúdo, mantendo os usuários no site com uma falsa promessa de que estão participando plenamente quando não estão – é vista como jogo sujo e os gigantes geralmente não estão prontos para admitir isso.

No passado, o próprio Twitter negou essas acusações, dizendo que nenhuma proibição de sombras está ocorrendo na plataforma, enquanto o conteúdo está sendo classificado e rebaixado de acordo com o que a empresa decide ser “atores de má fé”.

No entanto, o Twitter agora praticamente se manifestou sobre a proibição de sombras – mesmo que não usando o termo em si.

A atualização dos termos de serviço menciona o direito de “limitar a distribuição ou a visibilidade de qualquer conteúdo no serviço“, além de remover ou recusar a distribuição de qualquer conteúdo, suspender ou encerrar usuários e recuperar seus nomes de usuário sem responsabilidade.

Não há transparência, pelo menos na forma como os novos termos de serviço são reunidos, sobre como e até por que os usuários e seu conteúdo podem ser vítimas desse tipo de “distribuição ou visibilidade limitada”. O Twitter não diz se essas decisões serão tomadas. ser feita por algoritmos, diretamente por seres humanos, ou alguma combinação dos dois.

Já em janeiro de 2018, o ex-engenheiro do Twitter Abhinov Vadrevu apareceu em um relatório do Project Veritas descrevendo a proibição de sombras da empresa como uma estratégia que lhe daria o controle final.

“Então eles acham que ninguém está envolvido com seu conteúdo, quando na realidade ninguém está vendo”, disse Vadrevu sobre a maneira como os usuários são afetados.

Também em 2018, o CEO Jack Dorsey disse que sua empresa “erroneamente” removeu 600.000 contas das sugestões de pesquisa geradas automaticamente. Na época, ele culpou os algoritmos.