Press "Enter" to skip to content

O SUICÍDIO “ALTRUÍSTA” DE MANDETTA.

Paula Zanelli

Analise feita por Paulo Campos Jr. – Membro do Movimento SOBERANISTAS.

De acordo com o sociólogo David Émile Durkheim o suicídio é um fato social presente em todas as sociedades, variando apenas os números e os tipos de suicídio desenvolvidos em diferentes sociedades. Ele considera o suicídio como “toda morte que resulta mediata ou imediatamente de um ato positivo ou negativo realizado pela própria vítima.”

Isso significa que o suicídio é classificado como tal apenas quando há a intenção do suicida de provocar a própria morte, deixando de lado os casos acidentais ou de imprudência. Existem três tipos de suicídio que marcam as sociedades e variam, de acordo com cada lugar e cada tempo. São eles:

Suicídio egoísta: quando o ego pessoal sobrepõe-se ao ego social, e o indivíduo não suporta a vida e não vê, na sociedade, motivos para continuar vivo.

Suicídio altruísta: quando o ego social é maior que o ego individual, e o sujeito encerra a própria vida por uma ação maior que ele, em benefício da sociedade. São exemplos os pilotos kamikaze da Segunda Guerra Mundial, que chocavam seus próprios aviões contra os alvos.

Suicídio anômico: acontece em situação de anomia social, ou seja, desordem e caos. Geralmente ele acontece em situações de crise e guerra, nas quais as pessoas sentem-se afetadas pela anomia e não vêm sentido em viver daquela maneira ou têm a mente afetada pelo caos.

Talvez ainda seja difícil para que você entenda o que está acontecendo hoje no Brasil, mas vou tentar explicar de forma que fique bem claro. 

Assim como o Japão, na Segunda Guerra, atacou a base de Pearl Harbor e definiu o fim do avanço nazista com a entrada oficial dos EUA na Segunda Guerra, Mandetta alinhando suas ideias ao DEM de Rodrigo Maia e Alcolumbre, comete um verdadeiro suicídio altruísta, ou seja, em prol da política do partido e aprovação maciça da extrema imprensa.

Alguém sabe quanto custa o apoio de uma Rede específica de TV? Essas parcerias tem seus preços e alguns políticos já vem pagando há um longo tempo. Seja lá qual for, nunca será maior que o preço de vermos suicídios anômicos, em larga escala, devido a uma crise gerada apenas por interesses políticos, utilizando-se da maior arma que a esquerda tem e utiliza magistralmente: A cultura do medo.

Qual seria a consciência coletiva do DEM? 

“Consciência coletiva é o conjunto de características e conhecimentos comuns de uma sociedade, que faz com que os indivíduos pensem e ajam de forma minimamente semelhante.” (Émile Durkheim)

OPINIÃO:

Mandetta é do DEM, mesmo partido que o Rodrigo Maia, Alcolumbre e Caiado. Partido esse que tenta desestabilizar o Governo Bolsonaro, não é ao acaso, mas sim estratégia política para que, no final dessa pandemia, o presidente saia menor que o Ministro da Saude.

Não é a toa que Ronaldo Caiado, antes apoiador do Presidente Bolsonaro, o traiu. Vale lembrar que Ronaldo Caiado recebeu proposta da China de compra de terras raras em Goiás. “Empresas chinesas de mineração e energia, com capacidade de investimento na casa dos bilhões de dólares, demonstraram à comitiva goiana em visita àquele país, liderada pelo vice-governador Lincoln Tejota, interesse em expandir pesquisas e aplicar recursos em Goiás. A mineradora China Minmetals, em parceria com a Academia Chinesa de Ciências Geológica, vai enviar equipe a Goiás nos próximos meses para mapeamento detalhado do solo e atração de investimentos. Já se sabe que o Estado tem grande potencial para exploração do conjunto de minerais conhecidos como “terras raras”, usados no desenvolvimento de tecnologia de ponta.”

http://www.vicegovernadoria.go.gov.br/noticias/973-chineses-querem-investir.html

Por trás do Ministro da Saude, Luiz Henrique Mandetta, existe muito forte, Rodrigo Maia, David Alcolumbre, Carlos Magalhães Neto, tambem do DEM e seus eternos sócios, FHC, Serra, Alkimin e João Dória. O mesmo Dória que num passado não muito distante, se declarava inimigo No.1 do PT, e hoje troca afagos com o ex-presidiario Lula da Silva. É a velha política, os mesmos de sempre, que querem continuar a delapidar o patrimônio publico em prol de seus interesses escusos.

Mas não se enganem, o Presidente Bolsonaro está sempre andando na frente dos corruptos, e atento a tudo e a todos.

Mandetta está sendo calculista, assim como o DEM de Maia, Alcolumbre e outros corruptos. O DEM é o grande catalisador da política tradicional, que pós-88 foi chamada de presidencialismo de coalizão e mais recentemente participou da cleptocracia parlamentar instalada pelo governo criminoso do PT.

É um partido de gente que mixa desonestidade, oportunismo e habilidade para se posicionar bem em relação aos donos do poder, independente do contexto. O mesmo ocorre com o PMDB. Ambos são descendentes em linha direta dos “carcomidos” da República Velha, passando por PFL, PP de Tancredo, MDB moderado e todo um plantel de velhas raposas da política apaixonadas por dinheiro e poder. Mandetta, na realidade está participando de uma manobra friamente calculada por Maia, Toffoli, Alcolumbre, Caiado e diversos outros comparsas, incluindo os Governadores e os irmãos Marinho, cada vez mais premidos pelo tempo. A participação de Mandetta na manobra, de acordo com o cálculo realizado, o coloca como opção do Centrão para 2022, elevado ao “heroísmo” pela extrema-imprensa, principalmente porque Maia, ou melhor, Botafogo, pode ser alcançado pela justiça, da qual não se desvencilhará tão rápido. Caso Botafogo permaneça, Mandetta é um nome para a Vice-presidência.

Em ambas as situações a mídia o apresentará como o salvador do povo da pandemia, mesmo tendo que enfrentar o “cruel” Bolsonaro e perder seu cargo. No mínimo, poderá se candidatar a um governo estadual, passando de mero coadjuvante a um dos caciques do Centrão. Interessante notar também que Mandetta tem falado muito que não está preocupado com possíveis acusações futuras devido às aquisições emergenciais que estão sendo feitas. Aliás, é muito provável que isso seja a senha para um breve retorno aos procedimentos licitatórios nada republicanos dos governos anteriores, enquanto a pandemia durar, com a vantagem de que, caso haja problema no futuro, as jornalistas prostitutas da Folha e os amestrados da Globolixo vão criar uma narrativa de que o culpado por eventuais episódios de corrupção foi Bolsonaro e não Mandetta.” CEM. Dantas – (Soberanistas)